Biblioteca Aventura »

MISCHIEF IN PATAGONIA / H. W. TILMAN

EIGHT SAILING MOUNTAIN EXPLORATION BOOKS TILMANHarold William Tilman, mais conhecido como Bill Tilman, foi um homem difícil de classificar. Em todas as áreas em que atuou obteve prestígio e se destacou como poucos. Como militar, chegou ao posto de major, lutou e foi condecorado por bravura em batalha tanto na Primeira quanto na Segunda Guerra Mundial, foi ferido diversas vezes e, aos 45 anos de idade, lutando contra nazistas alemães e fascistas italianos, fez treinamento como paraquedista e desenvolveu luta de guerrilha atrás das linhas inimigas ao lado da resistência albanesa e italiana.

Como montanhista, explorou e mapeou rotas no Himalaia e no Karakoram, em 1936 conquistou o cume da montanha Nanda Devi (7.816 m), estabelecendo um recorde de altitude que só foi derrubado em 1950, liderou a Expedição Britânica ao Everest em 1938 e, em parceria com Eric Shipton, revolucionou o montanhismo introduzindo o estilo “leve e rápido” de deslocamento em montanha e escalada.

Aos 53 anos, considerando-se “velho demais para escalar montanhas acima de 7.000 m”, abandonou o montanhismo de altitude, comprou um veleiro de madeira de 13 metros e começou uma série de expedições náuticas que o elevaram ao topo da lista dos grandes navegadores modernos. Sua predileção por lugares remotos e isolados, seu treinamento militar e seu histórico como montanhista definiram um estilo de navegação náutica único.

Esse livro, Mischief in Patagonia, é o primeiro de uma série de oito livros que narram suas maiores e mais importantes expedições náuticas e de exploração. Mischief é o nome de seu primeiro veleiro. Aos 56 anos de idade, em 1954, Tilman zarpou da Inglaterra com uma pequena tripulação de aventureiros voluntários e, sem patrocínio algum, sem grandes recursos financeiros, cruzou o Atlântico, passou brevemente pelo Rio de Janeiro, cruzou o Estreito de Magalhães e se embrenhou pelos canais da Patagônia chilena na costa do Oceano Pacífico.

O objetivo dessa viagem, plenamente alcançado, era realizar a primeira travessia do Campo de Gelo Patagônico Continental Sul. A partir do Canal Peel, Tilman deixou Mischief ancorado em uma baía repleta de icebergs e leões marinhos e, com mais dois companheiros, escalou uma geleira, cruzou o Campo de Gelo até o Lago Argentino e voltou pelo mesmo caminho.

Sem GPS, roupas de Gore Tex, telefone satelital, sonar ou previsão meteorológica (Tilman não levava sequer rádio VHF em seu veleiro), navegando por bússola, cronômetro e sextante, em um barco pequeno de casco de madeira, com uma tripulação amadora e reduzida, seus únicos recursos eram habilidade, perseverança e liderança.

Depois da travessia do Campo de Gele, Tilman voltou para a Inglaterra contornando toda a América do Sul pelo Pacífico, cruzou o Canal do Panamá e cruzou novamente o Atlântico. Depois de um ano e um dia, exatamente, ele estava de volta à Grã Bretanha com mais uma expedição de altíssimo grau de dificuldade no bolso – a primeira de muitas. Bill Tilman seguiu navegando por mais 25 anos, até desaparecer no mar depois de outra breve parada pelo Rio de Janeiro, a caminho dos mares antárticos, provavelmente em algum lugar próximo às Ilhas Falkland.

Mischief in Patagonia é muito bem escrito, mesmo sendo um livro de exploração e aventura. Tilman deixou quinze livros – todos considerados clássicos em seu gênero – repletos de humor, filosofia, ensinamentos práticos, situações estranhas e engraçadas e, mais que tudo, um exemplo de vida. Esse volume em particular, publicado pela editora norte-americana The Mountaineers, traz todos os oito títulos sobre navegação náutica e exploração de Tilman e é intitulado The Eight Sailing/Mountain-Exploration Books. A mesma editora também produziu o compêndio The Seven Mountain-Travel Books do mesmo autor, além do volume The Six Mountain-Travel Books do parceiro de Tilman por muitos anos, excepcional montanhista e também escritor, Eric Shipton.

Quem conhece um pouco meu trabalho e acompanhou, por exemplo, a Expedição Transpatagônia, que realizei de outubro de 2012 a março de 2012 (postagens estão no BLOG), sabe da minha paixão pelo extremo sul do continente americano. Li Mischief in Patagonia de uma sentada, com um mapa de um lado e um enorme guia náutico da Patagônia e da Terra do Fogo do outro. Procurei e pesquisei cada buraco onde o barco de Tilman ancorou por poucas horas ou dias. Acompanhei pelo Google Earth seu deslocamento pelo Campo de Gelo. Entendi onde ele estava quando escreveu ter visto “as torres de granito da região de Paine”. Fiquei maravilhado com sua expedição e, principalmente, com a simplicidade de seu estilo de vida. E, para completar, a linguagem e a narrativa são leves, fluídas e interessantes, tornando o livro divertido e de fácil leitura. Por tudo isso e muito mais, Bill Tilman não é apenas um exemplo, é um modelo.

Já idoso, quando ministrava uma palestra na escola de cadetes do Exército Britânico, foi perguntado por um estudante: “Senhor, como faço para entrar em uma expedição?”. Ao que Tilman respondeu, sem pensar: “Simplesmente coloque suas botas e vá!”

Mischief in Patagonia
The Eight Sailing/Mountain-Exploration Books
H. W. Tilman
Diadem / The Montaineers
1995
956 páginas
ISBN 9780898861433
http://www.mountaineersbooks.org/