Editora »

APRESENTAÇÃO

Guilherme Cavallari na Serra do Caparaó (MG/ES)

A KALAPALO EDITORA tem seu DNA composto por terra, barro, águas em movimento, vento, chuva, frio cortante, sol ardente, esforço físico, suor, descanso à sombra de árvores, fontes de água pura, encontros surpreendentes com fauna selvagem, mergulhos refrescantes, cheiro de mato, frutas silvestres colhidas na trilha, som de trovão, o escuro da noite, o desconforto de roupas molhadas, o conforto surpreendente de sacos de dormir aconchegantes, sensação de vitória, gosto de fracasso, desejo de recomeço, um pouco de preguiça, arroubos violentos de energia física, inquietude mental, questionamento, calma repentina e inesperada e, principalmente, a certeza da grandeza absoluta da natureza e da nossa presença ativa em sua dinâmica infinita.

Desde sua concepção, décadas antes de sua constituição enquanto empresa, a KALAPALO EDITORA sempre foi a conexão entre as paixões de seu fundador, Guilherme Cavallari: livros, natureza e esportes – conceitos que podem também ser traduzidos por: arte, espiritualidade e vida.

HISTÓRIA

capa BBV JPEG

A primeira publicação de Guilherme Cavallari à frente da Kalapalo Editora, então Via Natura

A KALAPALO EDITORA nasceu, em 2001, como EDITORA VIA NATURA, para o lançamento do primeiro livro com trilhas para prática de mountain bike na região próxima à cidade de São Paulo. O Guia de Trilhas BBV Banco surgiu, enquanto projeto, em 1997, mas teve que esperar quatro longos anos para se concretizar em papel e tinta. Dezenas de empresas nacionais recusaram o projeto, tido então como “alternativo” demais. Foi um espanhol, o então presidente do Banco Bilbao Vizcaya (BBV) no Brasil, que enxergou a ideia como uma ação social, cultural, esportiva e ambiental de enorme poder de comunicação e transmissão de valores aos seus clientes. Esse título pioneiro foi lançado no dia 8 de agosto de 2001 com 3.000 exemplares de tiragem inicial, esgotados rapidamente em menos de um ano, uma segunda edição, de 5.000 exemplares durou pouco mais de quatro anos antes de se esgotar também.

Na sequência, de 2006 a 2009, Guilherme Cavallari e a KALAPALO EDITORA lançaram os oito volumes da coleção Guia de Trilhas enCICLOpédia, apresentando mais de 4.000 quilômetros de trilhas para mountain bike e cicloturismo detalhadamente mapeadas, divididas em 80 roteiros espalhadas pelo estado de São Paulo, sul de Minas Gerais e norte do Paraná.

Também em 2006, foi lançado o título Meu Primeiro GPS com 4.000 exemplares, esgotados em 2011. De autoria de André Gurgel e edição de Guilherme Cavallari, esse livro ajudou milhares de pessoas a se familiarizarem com a tecnologia de GPS, hoje tão popular.

Adriana Braga, companheira de vida e aventura

Em 2008, a editora diversificou e lançou os títulos Guia de Trilhas Trekking (Vol. 1) e Manual de Trekking & Aventura, esse último adotado pelo Ministério da Educação (MEC) em 2011 como literatura didática obrigatória em todos os cursos superiores de  Educação Física e Turismo do país com especialização em Aventura e Ecoturismo. Foi necessário criar e desenvolver uma linguagem própria e exclusiva de mapeamento de trilhas para trekking, para atender às necessidades do público brasileiro. No ano seguinte, 2009, foi lançado o Guia de Trilhas Trekking (Vol. 2) e, desde então, a KALAPALO EDITORA passou a ser também referência nacional em trekking, além de mountain bike e cicloturismo.

Também em 2009, foi lançado o Guia de Trilhas cicloMANTIQUEIRA, como o então “maior roteiro de mountain bike e cicloturismo do Brasil”, com 1.168 quilômetros de trilhas em 30 estapas abrangendo toda a extensão da Serra da Mantiqueira, de Extrema (MG) a Ibitipoca (MG), ida e volta por caminhos diferentes. Guilherme Cavallari criou para esse projeto um inovador sistema de mapeamento e organização de grandes roteiros de turismo aventura organizado em “anéis interligados”. Essa abordagem tornou o circuito acessível a um maior número de cicloturistas, dispostos e preparados a pedalar uma semana em vez de um mês consecutivo. A cicloMANTIQUEIRA é um projeto pioneiro no Brasil, grandioso e visionário, de criação de grandes roteiros de turismo aventura, que prevê em seus conceitos básicos a não inclusão de veículos motorizados e o uso da estrutura hoteleira local. Em outras palavras, um projeto sócio-ambiental completo. O circuito levou e continua levando turistas em bicicletas a regiões pouco conhecidas, mas de enorme interesse cultural e grande riqueza natural, promovendo desenvolvimento socioeconômico sustentável. Esse projeto visa incluir o Brasil no cenário internacional de turismo de aventura.

Transpatagônia, Pumas Não Comem Ciclistas

Em 2010, a KALAPALO EDITORA lançou o Guia de Trilhas Carretera Austral, um livro pioneiro com o mapeamento para trekking, mountain bike e cicloturismo de praticamente toda a extensão da Patagônia chilena, por toda a região cortada pela Ruta 7 – conhecida mundialmente como Carretera Austral. Ainda hoje, essa é a melhor publicação no mundo com o mapeamento completo e detalhado dessa estrada e dessa região, internacionalmente reconhecida como um destino de extrema importância no segmento turismo aventura. São 1.689 quilômetros de estradas, sendo 80% em terra, mais cinco roteiros de trekking mapeados em parques e reservas nacionais chilenas.

No ano de 2011, foi lançado o Guia de Trilhas Serra Geral (BluGrama), como o atual “maior roteiro de mountain bike e cicloturismo do Brasil”, conectando Blumenau (SC) a Gramado (RS) ida e volta por trilhas diferentes. São 1.611 quilômetros de caminhos em 32 etapas de viagem, organizadas em cinco anéis interligados. Novamente uma iniciativa da KALAPALO EDITORA de levar um modelo de turismo sustentável a regiões de interesse público e beleza natural.

Companheiro leal de tantas aventuras… Esse é o Pluto, guerreiro!

Já em 2012, a editora concretizou um antigo sonho de produzir um livro de referência nacional, de qualidade internacional, completo e abrangente, sobre um assunto de seu especial interesse, lançando o Manual de Mountain Bike & Cicloturismo. Um livro com potencial de ajudar muito o segmento a se desenvolver de forma madura e consciente.

Em 2015, Guilherme Cavallari produziu e lançou pela KALAPALO EDITORA seu primeiro título de literatura, mais especificamente literatura de viagem e aventura, o já consagrado Transpatagônia, Pumas Não Comem Ciclistas. O livro narra uma viagem solo, de bicicleta, de 6.000 km por toda a Patagônia e a Terra do Fogo. Numa linguagem criativa e original, o texto conta a história da viagem, do viajante e, principalmente, da  Patagônia. Em paralelo, a Fábula Filmes, em parceria com a KALAPALO EDITORA, lançou o premiado filme-documentário Transpatagônia.

Durante toda sua trajetória a KALAPALO EDITORA desenvolveu e executou diversos outros projetos paralelos às suas publicações, sempre objetivando facilitar e incentivar a prática de esportes de contato com a natureza e do turismo aventura no Brasil. Guilherme Cavallari, à frente da editora, ministra cursos regulares de trekking, mountain bike e cicloturismo, organiza cursos de uso da tecnologia GPS, dá palestras, escreve artigos para jornais e revistas, mantém um blog bastante visitado, pesquisa e explora regiões pouco conhecidas e com potencial de novos caminhos, sempre preocupado em estabelecer exemplos e conceitos que ajudem a desenvolver e fortalecer a cultura dos esportes de aventura – a chamado “cultura outdoor” – no país.

# Catálogo completo editora sem slogan (FOTOS)

Catálogo de guias e manuais da Kalapalo Editora

KALAPALO é o nome de uma importante tribo do Alto Xingu, hoje dentro do Parque Nacional do Xingu. Foram eles os primeiros índios não-civilizados a travarem contato com os irmãos Villas-Bôas, em 1945, durante a Expedição Roncador-Xingu. Os Kalapalo também estão diretamente envolvidos com a história do misterioso desaparecimento do explorador e aventureiro inglês, o Coronel Percy Fawcett, em 1925. Os Kalapalo impediram ou ajudaram a impedir, de algum modo, a passagem de um explorador colonial britânico, mas permitiram a passagem de brasileiros preocupados com o futuro dos índios e com o rumo do desenvolvimento nacional. Esse discernimento intuitivo e sua posição de responsabilidade, como uma espécie de “guardiões da entrada da Amazônia”, são fundamentais na filosofia da editora.

GUILHERME CAVALLARI

cicloM-Dia09 (3)

Guilherme Cavallari no mapeamento da CicloMantiqueira

Nascido em 1962, na zona norte da cidade de São Paulo, descobriu sua paixão pela natureza e pelos esportes ao ar livre na região de Atibaia, onde sua família mantinha uma casa de campo e um sítio. Aos nove anos já caminhava sozinho horas e horas pelo mato, aprendeu a cavalgar, remar barcos, nadar em águas abertas, subir em árvores, observar estrelas, explorar e descobrir seus limites pessoais e a extensão infinita da natureza. Foi também nessa época que devorou todos os livros escritos por Julio Verne.

Seus interesses esportivos vagaram desde a infância por diversas modalidades, em especial judô, handebol e rugby, esportes em que se destacou em instituições como Águias do Brasil, Esporte Clube Pinheiros e SPAC. Sua paixão por aventura tomou fôlego a partir da experiência e viver sozinho quase dois anos nos Estados Unidos, entre 1980 e 1981, com apenas 17 anos de idade, onde trabalhou como limpador de chaminés em Boston e nos acampamentos de férias da YMCA.

Nos anos de 1982 a 1987, trabalhou como ator profissional de teatro, humorista de rádio, recreacionista e animador de festas infantis e conseguiu, não sem sacrifício, formar-se no nível médio do currículo escolar nacional (antigo colegial). Estudou alemão no Instituto Goethe e italiano no Circolo Italiano, mas nem pensou em entrar em uma faculdade, o mundo era grande demais para passar quatro ou cindo anos dentro de salas de aula.

De 1988 a 1990, viveu na Inglaterra, onde trabalhou em hotéis em Londres e colheu batatas em Cambridge; em Israel, trabalhando como coveiro, pedreiro, carregador de móveis em caminhões de mudanças e assistente de eletricista, entre inúmeras outras funções; e na Itália, onde colheu maçãs na região de Trento. Passou dois meses perambulando de mochila por todo o Egito, desceu o Rio Nilo em uma felluca por quatro dias (embarcação a vela tradicional), visitou o isolado oásis de Siwa. Passou também dois meses viajando de carona por toda extensão, norte e sul, leste e oeste, da Turquia. Cruzou a Europa de carona de Istambul a Londres e de Berlim a Milão.

De volta ao Brasil, entre 1991 e 1992, trabalhou como gerente de marketing na Rádio Transamérica FM de São Paulo e como professor de inglês.

Cruzando rio na Terra do Fogo, Perto de Ushuaia, Argentina

Cruzando rio na Terra do Fogo, Perto de Ushuaia, Argentina

De 1993 a 1994, viveu na Alemanha, onde trabalhou como bike courrier em Berlim pedalando em média 100 quilômetros por dia no verão e no inverno, e participou como competidor do II Campeonato Mundial de Bike Messengers em Londres.

De volta ao Brasil, em 1995, voltou a dar aulas de inglês e tornou-se coordenador pedagógico em escolas especializadas no ensino para executivos, começou a competir em provas de mountain bike cross country e cross country marathon, participou das primeiras corridas de aventura do Brasil (EMA) e decidiu concentrar seus esforços profissionais para a criação da KALAPALO EDITORA.

Desde 1996, vive com Adriana Braga, com quem divide a vida, uma casa, noites em barracas, o amor por cachorros, a paixão pelo trekking, pela Patagônia e pela Serra da Mantiqueira e o desejo de viver em uma casinha incrustada na floresta no topo de uma montanha. Foi Adriana quem o apresentou ao yoga e ao budismo Theravada, influências que contribuíram bastante para promover grandes transformações.

Desde 2001, trabalha exclusivamente no segmento aventura como autor, editor e distribuidor dos títulos da KALAPALO EDITORA. É autor dos títulos: Guia de Trilhas BBV Banco (2001), oito títulos da coleção Guia de Trilhas enCICLOpédia (2006-2010), dois títulos da coleção Guia de Trilhas Trekking (2008 e 2009), Manual de Trekking & Aventura (2008), Guia de Trilhas cicloMANTIQUEIRA (2009), Guia de Trilhas Carretera Austral (2010), Guia de Trilhas Serra Geral (BluGrama) (2011), Manual de Mountain Bike & Cicloturismo (2012) e Transpatagônia, Pumas Não Comem Ciclistas (2015).

Desde setembro de 2013 vive em uma fazenda em Gonçalves (MG), na Serra da Mantiqueira, onde mantém o REFÚGIO KALAPALO, um abrigo de montanha com hospedagem e alimentação e uma escola de aventura, ministra cursos de trekking, mountain bike e cicloturismo, organiza expedições e dá palestras.

FOTOS, IMAGENS DE CAPAS E RELEASES

Havendo interesse em divulgar nosso acervo, favor solicitar material de divulgação pelo e-mail: vendas@kalapalo.com.br.