2006, dezembro – revista TRIP

Salada // Notas – pág 70

Força nas batatas

Chega de vida mansa. Coloque os pedais na estrada e descubra que a natureza e panturrilhas formam uma perfeita viagem de aventura. É assim o mundo do biker Guilherme Cavallari, 44 anos, criador e editor do Guia de Trilhas enCICLOpédia (Editora Via Natura R$ 17). Dois fascículos já foram lançados este ano – cada um com 13 roteiros para mountain bike no estado de São Paulo e uma cicloviagem. O próximo sai este mês e, além das trilhas, traz uma viagem de bike por cinco ilhas nos litorais paulista e paranaense. São 160 quilômetros para serem feitos em quatro dias. Para ir seguro, dicas fundamentais são: não ir sozinho e ficar atento à previsão do tempo e à tábua das marés. “Já levei uma casinha nas costas… hoje sou minimalista”, ensina Cavallari. Ele diz que essa pedalada é de dificuldade média e que com cerca de 400 reais o conforto está garantido. (FG)

VAI LÁ: Acesse www.vianatura.com.br. Tel.: (11) 3865.2575

TRECHO 1: O primeiro trecho de bike é opcional. Os 42 quilômetros que dividem Morretes de Paranaguá são asfaltados e rendem uma viagem de duas a três horas sobre duas rodas. Se quiser estender seu conforto por mais algum tempo, pegue um ônibus.

TRECHO 2: Depois de pernoitar na Ilha do mel, vem o trecho mais bonito e menos exigente de todo o percurso – Ilha do Mel, Ilha das Peças e Superagüí. São 16,5 quilômetros em duas horas de pedalada (fora os trechos de barco). É só seguir pela praia. Mas pergunte aos locais os melhores caminhos para evitar trechos de areia fofa ou alagados. As três ilhas são pouco habitadas e superpreservadas. O pernoite, em Superagüí, merece atenção: há só uma pousada na área.

TRECHO 3:  Na Ilha do Cardoso, a pedalada dura de duas a quatro horas por 42 quilômetros de praia, reservas e vilas de pescadores. O trecho passa por vila de Marujá e termina em Cananéia. Se suas batatas da perna já estão assando o suficiente, abandone a aventura aqui, providenciando barco e ônibus para voltar ao continente – é sua última chance, hein.

TRECHO 4:  Se chegou até aqui, é porque realmente quer sentir suas batatas fritas. O último trecho é o mais puxado: seu dia será praticamente inteiro em cima da magrela. Os 59 quilômetros nas areias de Ilha Comprida e Iguape são marcados por praias menos desertas – esqueça aquele papo de mata virgem. Turistas, ônibus e carros integram a paisagem. São de três a seis horas de pedalada. Torça para o vento estar a seu favor.

no images were found