Biblioteca Aventura »

CUANDO ÉRAMOS NIÑOS EN LA PATAGONIA / JEAN CHENUT

O Guia de Trilhas Carretera Austral, meu próximo livro, está quase pronto. Passei dois meses em dezembro e janeiro últimos percorrendo e mapeando a região para produzir esse guia com roteiros de mountain bike, off road, trekking, canoagem, pesca esportiva e escalada em rocha. Como sermpre faço, trouxe comigo da viagem diversos livros e mapas, um deles foi Cuando Éramos Niños en la Patagonia, de Jean Chenut.

A Patagônia, tanto chilena quanto argentina, foi destino de diversas ondas imigratórias recentes, a maioria de povos europeus… Ingleses, alemães, iugoslavos, italianos, franceses, entre outros, ocuparam áreas determinadas e deixaram suas marcas na formação dessa região de tamanho e feições continentais. Na Argentina, por exemplo, houve a importante imigração galesa da região de Santa Cruz. No Chile, a imigração belga de Chile Chico, em 1949. Esse é o tema desse livro.

Meu interesse particular em Chile Chico e sua história está diretamente relacionado com a produção do Guia de Trilhas Carretera Austral e de um outro projeto, também literário e de aventura, como sempre. Em janeiro e fevereiro próximos quero voltar à Patagônia, dessa vez para percorrer a Carretera Austral de bike e fazer dois ou três roteiros de trekking que não consegui fazer no começo do ano. Um deles é uma travessia selvagem, não comercial e não mapeada, de Chile Chico a Cochrane pela Reserva Nacional Jeinimeni, Paso La Leona, Vale del Chacabuco e a Reserva Nacional Tamango. Grande parte desse roteiro foi explorado pelos imigrantes belgas de Chile Chico.

Mas o livro me surpreendeu principalmente porque, além de trazer as informações que eu buscava, também é boa literatura. Trata-se da compilação de relatos das crianças que chegaram a Chile Chico em 49 e as crianças belgas que nasceram na Patagônia dessa onda imigratória. Diferente de um relato meramente biográfico de um imigrante em específico ou um estudo socio-cultural abrangente, a narrativa costura lembranças de infância de crianças européias de repente cercadas por experiências envolvendo longas cavalgadas, travessias de rios gelados, ventos patagônicos, subidas de montanhas, animais exóticos, brincadeiras, travessuaras, tragédias, nascimentos, mortes, celebrações, conquistas, perdas e aventuras de descobrimento geográfico e pessoal.

O autor é casado com uma dessas crianças belga-patagônicas e teve acesso a uma infinidade de documentos familiares, além de entrevistas com os adultos em que essas crianças se transformaram. O texto é repleto de sons, sabores, cheiros, sentimentos, imagens fortes e deixa no leitor a sensação quase tátil de ter vivido aquelas experiências. É claro que o livro teve um impacto especial em mim, que tenho muito interesse na região, estive lá recentemente e tive a sorte (foi uma coincidência) de ter me hospedado em uma das casas originais construídas pelos imigrantes belgas, citada diversas vezes no livro (Hostería de la Patagonia, www.hosteriadelapatagonia.cl/). Sem saber, inclusive conversei longamente com uma senhora que me disse: “quando eu era criança, ia a cavalo regularmente ao Vale Chacabuco pelo Paso La Leona, para visitar meus tios”… Exatamente o título do livro que terminei de ler.

Mal consigo esperar o momento de voltar à Patagônia, pedalar pela Carretera Austral, chegar a Chile Chico, reencontrar com a família que dirige a pousada onde me hospedei, ouvir mais histórias e fazer esse trekking de 4 a 6 dias de Chile Chico a Cochrane…

Cuando Éramos Niños en la Patagonia
Jean Chenut
Pehuén Editorial
2003
238 páginas
ISBN 9789561604087
http://www.pehuen.cl/