Biblioteca Aventura »

THE SPRINGS OF ENCHANTMENT / JOHN EARLE

John Earle, montanhista inglês, produtor, diretor e apresentador de programas de televisão na BBC, teve o privilégio, segundo ele mesmo, de conviver e participar de uma expedição de exploração na Terra do Fogo chilena com Eric Shipton, um dos grandes nomes do montanhismo mundial. Esse relato autobiográfico narra duas expedições, em 1963 e 1979 na região – a primeira com o próprio Shipton e, a segunda, inspirada por Shipton, mas realizada após sua morte e liderada por Earle.

O livro foi publicado em 1981 e minha impressão foi de que o autor precisou de muito tempo para escrevê-lo. Não porque o trabalho de pesquisa tenha sido intenso, mas acho que a digestão emocional das experiências tomou tempo. O livro tem um forte peso autobiográfico e usa a narrativa das duas expedições de exploração às montanhas da cordilheira Darwin, na Terra do Fogo chilena, para apresentar e discutir, em forma de monólogo, a personalidade e história do autor.

As duas expedições foram muito diferentes entre si, primeiro pelo tempo que as separa e, segundo, pela presença e liderança de Eric Shipton. Em 63, o mundo dos esportes ao ar livre fazia os primeiros experimentos com roupas de nylon impermeável e o autor diz:

“Our suits were highly waterproofed with PVC, and British Nylon Spinners had given us waterproofs free to test for them. Our suits were highly efficient at keeping out water, but of course one became soaked in sweat, despite generous ventilations vents, and I felt sure this contributed to the lassitude and feeling of exhaustion we all experienced from time to time”. (Nossas roupas eram altamente impermeabilizadas com PVC e a empresa British Nylon Spinners nos havia dado o equipamento sem custo, para que nós o testássemos. Nossas roupas eram nuito eficientes em manter fora a água, mas obviamente nós ficávamos empapados de suor, apesar das generosas aberturas de ventilação. Estou certo que isso contribuiu para a lassidão e sensação de exaustão que todos nós experimentávamos de tempos e tempos).

Essa diferença tecnológica – em peso, volume e eficiência do equipamento de ponta utilizado em expedições de exploração – alteram drasticamente a dinâmica do deslocamento e interferem diretamente no resultado da empreitada.

Assim como aconteceu em outras regiões exploradas por Shipton – como em Garhwal, no estado de Uttarakhand, no norte da Índia, onde rotas abertas por ele depois se transformaram em roteiros utilizados em turismo de aventura – montanhistas contemporâneos conseguem se divertir escalando as mesmas montanhas que exploradores do passado mapearam e desvendaram.

O livro tem um tom de homenagem, bem merecida, ao ídolo do autor que coincidentemente é personagem da narrativa na sua primeira metade. O poético título do volume é uma citação a duas obras: That Untravelled World, autobiografia de Eric Shipton, e o poema Ulysses, de Lord Tennynson…

“The springs of enchantment lie within ourselves; they arise from our sense of wonder, that most precious of gifts, the birthright of every child. Lose it and life becomes flat and colourless; keep it and
‘All experience is an arch wherethro
Gleams that untravell’d World, whose margin fades
For ever and for ever when I move.’”

Que eu traduzo:

As fontes de encantamento estão dentro de nós; elas nascem da nossa capacidade de nos maravilharmos e compõem a mais preciosa de todas as dádivas, a herança de toda criança. Perca essa dádiva e a vida se tornará chata e sem cor, mantenha-a e
‘Toda experiência é um arco através do qual
Brilha o mundo não-viajado, cujas margens desaparecem
Para sempre e sempre quando eu me movo’.

Esse pequeno livro foi um achado, comprado de segunda mão no site amazon.com, ilustrado com fotos preto-e-branco e mapas das regiões exploradas – exatamente como todo bom livro de aventura deve ser. Ele não deixa de ser uma narrativa de aventura, com detalhes do dia a dia da expedição, descrições minuciosas do terreno, nomes de árvores e animais, confissões pessoais e análises psicológicas – elementos que facilmente tornam-se pesados e comprometem o desenvolvimento da narrativa – mas seu tom poético, autobiográfico e pessoal, como um testamento, conseguiu acrescentar prazer à leitura.

The Springs of Enchantment – Climbing and Exploration in Patagonia
John Earle
Hodder and Stoughton Editorial
1981
192 páginas
ISBN 0 340 24304 X
http://www.hodder.co.uk/