Blog »

SISTEMA DE HIDRATAÇÃO OU CARAMANHOLA?

Kalapalo 09/08/2010 1

Recebo muitas perguntas de leitores dos meus livros. Algumas perguntas são frequentes (FAQ – frequently asked questions), então decidi colecionar minhas respostas aqui no blog…

Pergunta: Sistema de hidratação ou caramanhola?

Eu respondo: Simples e curto… Sistema de hidratação, sempre! A natureza é sábia e fez o dromedário e o camelo com corcovas de armazenamento de água. Já imaginou um dromedário procurando água no deserto do Sahara?

Mas se a natureza não nos equipou com corcovas hidroportantes, então a engenhosidade humana criou os sistemas de hidração acoplados a mochilas… E nós viramos primos dos camelos.

Para quem não conhece, um sistema de hidratação (para não usar o nome da marca que criou o modelo) é um reservatório de água dentro de uma mochila, com uma mangueira pendurada para fora. Basta colocar a mangueirinha na boca e se hidratar em movimento. Ainda não existe algo mais prático.

Mas tem gente que ainda não acredita nessa engenhoca e continua usando caramanholas, ou as garrafinhas de bike (que também podem ser usadas em corridas a pé ou dentro de mochilas em trekking). E eu me pergunto… Por que?

Mesmo quando saio para pedalar ou caminhar por duas ou três horas em trilhas, levo um sistema de hidratação de 2 a 3 litros, cheio! E não me arrependo. As vantagens são óbvias e relato abaixo alguns exemplos que descobri por experiência própria…

1) A facilidade da mangueira permite que eu me hidrate muito mais. Já cansei de fazer o teste… Sair para pedalar ou caminhar o mesmo percurco com 1,5 litros de água em duas caramanholas e 3 litros em um sistema de hidratação… Sempre bebo muito mais água do sistema…

2) Já aconteceu de eu ter que lavar um machucado, meu ou de algum companheiro de trilha, e a mangueirinha do sistema de hidratação foi perfeita, esguichando água limpa no ferimento e limpando tudo, possibilitando inclusive analisar a gravidade do machucado…

3) Pedalando debaixo de muita chuva e por um mar de lama, meus óculos ficam imundos a cada meia hora. Não dá para pedalar sem óculos, as rodas jogam sujeira nos olhos o tempo todo. Eu uso então o jato da mangueirinha do sistema de hidratação para limpar os óculos sem correr o risco de riscar as lentes…

4) Isso já é mais raro, mas acontece às vezes de eu sair para uma atividade de duas a quatro horas programadas de duração e a brincadeira virar uma mini-expedição de oito a dez horas… Ter água suficiente nessas situações é essencial…

5) Cachorros odeiam bicicletas, todo mundo sabe disso. Do nada eles saem em disparada atrás das rodas e de nossas pernas. A maioria das vezes tudo não passa de barulho, mas nunca se sabe… Quando tenho tempo de reagir, encho a boca de água usando a mangueirinha e quando o Totó chega junto, solto uma cusparada caprichada na cara dele… O bicho fica atordoado! Não consegue entender de onde veio aquela “chuva” toda e para. É infalível! Muito melhor do que gritar ou tentar chutar o bichinho, que no mínimo só está defendendo o território dele…

Se você procura dicas de como utilizar melhor seu equipamento de aventura, quer saber os conceitos por trás de diversas técnicas e inclusive receber ajuda para escolher seu equipo, sugiro o livro Manual de Trekking & Aventura. Link para a resenha do livro no blog: http://clubedaaventurakalapalo.blogspot.com/2010/04/resenha-livro-manual-de-trekking.html

  1. Anonymous 01/11/2011 at 13:53 - Responder

    Comentário: As corcovas do camelo armazenam gordura e não água!