Blog »

TREKKING SERRA FINA

Kalapalo 25/05/2010 2

A travessia da Serra Fina é considerada “o trekking mais duro do Brasil” – afirmação controversa e discutível. Como uma caminhada de quatro dias de duração e 31 e quilômetros de extensão pode ser o trekking mais duro de um país de dimensões continentais e vastas extensões de natureza intocada?

A Serra Fina é um roteiro de trekking difícil quando comparada com travessias mais curtas na Região Sudeste, como Petrópolis-Teresópolis, Marins-Itaguaré, Lapinha-Tabuleiro na Serra do Cipó ou Ponta da Juatinga (travessias também publicadas no Guia de Trihas Trekking Vol. 1 – Link para resenha do livro no blog: http://clubedaaventurakalapalo.blogspot.com/2010/04/o-volume-1-da-colecao-guia-de-trilhas.html).

Minha teoria sobre o assunto é que… Como o trekking é mais popular nessa região brasileira e como nós, da Região Sudeste, temos o hábito de achar que o Brasil se resume a nós, a Serra Fina ganhou esse título. A verdade é que o grande fator de dificuldade dessa travessia está na soma de subidas e descidas, que chegam perto de 3.000 metros acumulados, associada à escassez de água – que obriga o aventureiro a carregar muito peso a maior parte do tempo. A navegação pode não ser fácil, mas tampouco é extremamente complicada, pois acontece quase todo o tempo por cristas nas montanhas.

A travessia da Serra Fina é um trekking desafiante, bonito, selvagem, acessível e um excelente exemplo de montanhismo nacional. Um roteiro que não pode faltar no currículo de amantes de esporte de aventura.

DIA 1, da Toca do Lobo (Passa Quatro, MG) até o Pico do Capim Amarelo (Passa Quatro, MG), quando saímos de 1.500 metros de altitude e dormimos a 2.500 metros, aproximadamente…

DIA 1, uma vez fora da mata inicial, ganha-se altitude caminhando pela crista de uma sequencia de montanhas, sempre em direção ao topo…

DIA 1, não é raro caminhar acima das nuvens e encontrar no topo um clima completamente diferente daquele vivido no vale…

DIA 2, do Pico do Capim Amarelo ao Pico da Pedra da Mina (quarta montanha mais alta do Brasil, com 2.789 metros de altitude)…

DIA 2, todo o dia acima de 2.200 metros de altitude, em campos de altitude e muitas vezes acima das nuvens. Quase não há água nesse dia…

DIA 2, topo do Pico da Pedra da Mina. Do alto da montanha, em dias claros, podemos enxergar a travessia Marins-Itaguaré e o Parque Nacional do Itatiaia…

DIA 2, assinando o Livro de Cume, protegido no topo da Pico da Pedra da Mina por uma caixa de aço inox…

DIA 3, do Pico da Pedra da Mina ao Pico dos Três Estados (divisa entre São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro)…
DIA 3, novamente um dia de pouca oferta de água, que quando encontrada (há pontos certos) deve ser tratada antes do consumo. Para conhecer técnicas e equipamento de tratamente de água em aventura, consulte o Manual de Trekking & Aventura (link para resenha do livro no blog:
http://clubedaaventurakalapalo.blogspot.com/2010/04/resenha-livro-manual-de-trekking.html)…

DIA 3, o trajedo desse dia é extenuante, cheio de subidas e descidas, nunca abaixo de 2.400 metros de altitude…

DIA 4, do Pico dos Três Estados à BR 354 e fim da travessia…
DIA 4, um dia só de descida, saindo de 2.600 metros de altitude para chegar aos 1.500 metros, aproximadamente…
DIA 4, na longa descida vemos a Pedra do Picú (Itamonte, MG), famoso point de escalada em rocha da região…

DIA 4, antes de chegar à BR 354 e à cidade de Itamonte, a trilha se transforma em uma estrada de terra, que inclusive dá acesso ao Itatiaia…Gostou do roteiro? Ficou animado em fazê-lo também?

Todo o trajeto está minuciosamente mapeado, fotografado, descrito e explicado no Guia de Trilhas Trekking Vol. 1, junto com outros seis roteiros clássicos de trekking: Pedra da Mina (subida e descida por outro caminho), Pedra da Flores (Extrema, MG), Ponta da Juatinga (Parati, RJ), Serra do Cipó (Lapinha-Tabuleiro, MG), Serra dos Órgãos (Petrópolis-Teresópolis, RJ) e Torres del Paine (Paagônia, Chile).

Guia de Trilhas Trekking Vol. 1
Guilherme Cavallari
Kalapalo Editora
2008
82 páginas
R$ 39
ISBN 9788588493049
  1. Vivi Mar 17/02/2011 at 12:23 - Responder

    Comentário: Ainda não consegui completar esta travessia. :(
    Já tentei 2 vezes, e em ambas tivemos que abortar devido a uma virada no tempo. Na 1º vez retornamos pelo mesmo caminho, do capim amarelo. Da 2º vez abortamos pelo Paiolinho.
    Bom, nesta temporada de montanha de 2011, tento de novo...hehehe

  2. Tiago Korb 04/09/2011 at 1:46 - Responder

    Comentário: Realizei esta travessia da forma solo durante a travessia Transmantiqueira Completa toda a pé de Piquete SP a Itatiaia RJ (Marins x Itaguaré + Serra Fina + Ruy Braga).
    Só tenho a recomendar este livro com suas ótimas dicas sobre o roteiro, o que levar de equipamentos e vestuário.